Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Depois de muitos dias de viagem enfim chegamos a cidade que eu mais desejava conhecer por causa do seu nome peculiar: Punta del Diablo.

Após sairmos de Cabo Polonio viemos direto para Punta del Diablo, só que eu havia esquecido de olhar o nível de combustível do carro. E quando pegamos a estrada o nível de gasolina já estava na reserva.

Conversei com o pessoal da administração e fui informado que o posto de gasolina mais próximo seria em Castillos (26km).
Eu não sabia, mas o Uruguai não é que nem o Brasil que costuma ter postos de combustíveis no meio da estrada, são encontrados na maioria das vezes somente dentro da cidade.

Assim que chegamos na cidade o difícil foi encontrar o dito cujo (posto), pois cada pessoa que eu perguntava na rua me indicava um caminho diferente para se chegar no posto =/
Depois de muito sufoco e com medo de ter que empurrar o carro conseguimos encontrar um posto e abastecer para continuar viagem.

Quando chegamos na cidade vimos que ainda tinha sobrado bastante peso uruguaio (moeda do Uruguai) então resolvemos alugar uma cabana para passar os últimos dias no país. Andamos um pouco de cá para lá, de lá para cá até encontar um lugar legal e que fosse perto da praia. Depois de uma meia hora olhando os lugares encontramos uma cabana a uma quadra da praia, com direto a show ao vivo de um cara cantando os hits do momento no Brasil (vê se pode…).

Assim que estacionei o carro tomei um susto ao olhar para o odômetro e ver que a quilometragem parcial era de 666 (número da besta, capeta, diablo).

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai
666 – O limiar do Inferno

Depois de descarregar o carro com as nossas comidas, fomos tomar um banho, depois fomos no mercado do lado para comprar umas cervejas e algo para fazer a janta. =D
Logo em seguida fomos dormir, pois a canseira bateu já que tinhamos passado o dia inteiro em Cabo Polonio.

Assim que acordamos acordamos hoje fomos fazer um passeio na praia.
Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Quando chegamos na pousada a dona comentou: “Não sei o que os Brasileiros vem fazer aqui no Uruguai com essas águas frias, sendo que vocês tem muitas praias lindas.”

A beleza não está só na água quente do mar, mas na educação e gentileza do povo.

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Que saudade dessa praia, o melhor da praia, digo não só da praia mas a melhor lembrança de comida que temos do Uruguai foi enquanto estávamos na praia de Punta del Diablo e deu aquela fome eu olhei para os lados e só vi uma barraca de milho, perguntei para a Narjara se ela queria um milho também e ela desdenhou, deu de ombro e disse que não estava com fome.

Fui lá pedir apenas um para eu comer, aguardei a guria trazer e assim que ela trouxe ficou conversando um pouco conosco para saber de onde éramos. Enquanto conversava um pouco já fui comendo e a Narjara pediu para dar uma prova. Bah deveria ter tirado uma foto da cara dela de espanto, tão maravilhada ficou com o milho uruguaio, por ser extremamente delicioso e doce. Na mesma hora pediu para eu ir lá pedir outro(s), mas por infelicidade do destino não tinha mais nenhum milho para vender, assim como as barracas existentes sumiram pelo horizonte e nunca mais pudemos nos deliciar com outro milho.

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

No último dia ganhamos um amigo que estava sempre do nosso lado na pousada, sem falar nada. Nos acompanhou o dia inteiro.
Punta del Diablo, Departamento de Rocha, Uruguai

A noite fomos no mercado para comprar algo para fazer a janta, mas quando voltamos soubemos que a dona da pousada tinha tocado o cusco para fora para não incomodar os hóspedes.

Que diacho, eu gostava do cusco.
:'(

No outro dia fomos embora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *